Aba 1

    NOTÍCIAS

    Postado em 14 de Junho de 2018 às 10h48

    NOTA OFICIAL

    • ACIC CHAPECÓ -

    ACIC condena aumento de gastos da Assembleia Legislativa de SC

    A Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) manifesta publicamente sua contrariedade à decisão da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Santa Catarina em ampliar o quadro de servidores com a contratação de mais 30 terceirizados ao custo mensal de R$ 303,9 mil.

    Nessa fase difícil da economia brasileira e catarinense em que faltam recursos para a melhoria e a ampliação dos serviços básicos de saúde, educação e segurança pública e praticamente inexistem recursos para obras de infraestrutura, soa como zombaria e menosprezo aos cidadãos o desperdício de recursos com a ampliação do quadro de pessoal.

    O ato assume proporções de má gestão quando se verifica que justamente a Assembleia Legislativa possui um quadro absurdamente elevado com milhares de servidores, com excesso de recursos humanos em todos os setores e salários escandalosamente acima dos patamares praticados pelo mercado.

    A triste e condenável decisão se soma a outra recentemente noticiada, pois o Legislativo já havia chocado os catarinenses com a desnecessária aquisição de um edifício no centro de Florianópolis pelo exorbitante valor de 85 milhões de reais para alojar 500 funcionários do Poder.

    É revoltante a alienação dos senhores deputados estaduais nesse momento em que mais de 13 milhões de brasileiros amargam o desemprego, as empresas sofrem com a recessão econômica, os trabalhadores vivem um processo de empobrecimento e a qualidade de vida das famílias brasileiras decai.

    A Associação Comercial e Industrial de Chapecó – em nome do empresariado e das classes econômicas do Município – apela para que os senhores parlamentares:

    - Revoguem a contratação dos terceirizados;

    - Reduzam urgentemente o quadro geral de servidores em todas as áreas;

    - Implantem um programa de racionalização da gestão para a redução das despesas correntes;

    - Criem um programa de controle de produção e avaliação de desempenho de todos os funcionários;

    - Suprimam o auxílio-moradia e congelem por oito anos o conjunto geral de benefícios dos deputados.

    A sociedade não aceita e o contribuinte não suporta continuar sustentando um Parlamento que ignora a realidade na qual o crescente desajuste fiscal e o descontrole dos gastos públicos apontam para – em futuro breve – uma situação de absoluta inviabilidade do Estado catarinense e brasileiro.

    Chapecó, 14 de junho de 2018.

    CIDNEI LUIZ BAROZZI

    PRESIDENTE

    Veja também

    Se não for agora, será quando?11/08 Neste ano, os brasileiros já pagaram aproximadamente R$ 1,2 trilhão em tributos, compreendendo impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e correção monetária. Foram 151 dias trabalhados apenas para isso, de acordo com o Impostômetro. Não é novidade que o sistema tributário do País é dos mais complexos do......
    Conviver com o SPED02/09/13 Uma conversa informal para tratar de um assunto que exige muita formalidade: o Sistema Público de Escrituração Fiscal (SPED). Essa foi a proposta do Núcleo de Consultorias da Associação Comercial e Industrial de......
    “Caminhada rosa” movimenta o centro de Chapecó27/10/15 Programação do mês internacional de combate ao câncer também incluiu participação no jogo entre Chapecoense e Avaí A “caminhada rosa”, que visou conscientizar sobre a importância da......

    Voltar para Notícias