Aba 1

    NOTÍCIAS

    Postado em 14 de Julho de 2020 às 15h35

    "Nós não somos uma ilha", afirma Leandra Merisio


    Um novo cenário se apresenta diante da crise provocada pelo novo coronavírus. Empresas e profissionais precisaram se adaptar rapidamente e necessitam continuar inovando para sair fortalecidos deste momento desafiador. Alguns setores terão mais dificuldades, mas com a colaboração de entidades de classe é possível buscar alternativas. O assunto é abordado nesta entrevista pela diretora administrativa da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), Leandra Merisio.

    Leandra Merisio é casada com Carlos Merisio e mãe do Marcelo. É pós-graduada em Marketing Empresarial e Gestão Empresarial pela FGV, sócia e diretora comercial da Rotesma Indústria de Pré-Fabricados e presidente da Fraternidade Flor de Acácia.

    A forma como a comunidade chapecoense reagiu à pandemia foi, na sua avaliação, sensata e madura? Ou não? Por quê?

    Leandra Merisio - A comunidade chapecoense é unida e colaborativa. Diante do cenário surpreendente houve o entendimento da importância de cada indivíduo fazer a sua parte para o bem-comum.

    A ACIC conseguiu viabilizar uma exitosa campanha de solidariedade para a compra de equipamentos para o Hospital Regional do Oeste. Essa ação será repetida em outras ocasiões ou somente nas emergências?
    Leandra - O HRO é de extrema importância para a grande região do Oeste, representa a saúde desse território. O momento atual nos mostra que juntos e comprometidos é possível mudar uma realidade. Sempre que achar necessário e pertinente, a ACIC fará ações em prol do hospital.

    Novas oportunidades de negócios e empreendimentos estão surgindo em plena epidemia? Quais seriam?
    Leandra - O mercado está se adaptando à nova forma do consumidor pensar e agir. As grandes marcas já perceberam as mudanças na maneira de divulgar seus produtos. As ferramentas tecnológicas estão mais presentes e com o home office percebemos que podemos trabalhar em qualquer lugar, basta ter disciplina. A educação a distância ganhará adeptos, a pandemia prova que pode-se estudar e ainda ter flexibilidade nos horários. O entretenimento tem mudanças conceituais, estamos em casa nos divertindo e de graça.

    Uma constatação que surgiu com a crise da pandemia foi o fato da maioria das pequenas e médias empresas não disporem de reservas (por mínimas que fossem) para enfrentar situações críticas. O que é possível fazer para ajudar esses empresários?
    Leandra - O incentivo e apoio na busca de alternativas de mercado para transformar problemas em soluções, por meio de consultorias, e busca de linhas de crédito.

    Qual o aprendizado que as empresas estão colhendo com o assustador advento da pandemia do novo coronavírus?

    Leandra - Penso que a palavra que define este momento nas empresas seja ?reinvenção?, ou seja, fazer novamente, tornar a inventar, buscar soluções e formas de continuar no mercado.

    Algumas mudanças de comportamento de pessoas e empresas se manterão quando a pandemia passar? Quais são as principais transformações que ficarão desse episódio?

    Leandra - A humanidade enfrentou epidemias ao longo da história. É nas dificuldades que buscamos oportunidades. As mudanças de comportamento e valores perduraram. São momentos de fortalecer a solidariedade, respeito, empatia, despertar a responsabilidade individual com o coletivo e o consumo mais consciente. Nós não somos uma ilha.

    A economia brasileira deve recuar 7% neste ano. Quando a pandemia passar, como se dará a reconstrução da economia? A força de vontade e o alto astral do empresariado chapecoense prevalecerão?
    Leandra - A situação impacta toda a sociedade, muitas famílias perderam em parte ou totalmente a renda diante deste cenário tão crítico. Os empresários precisam fazer a sua parte buscando alternativas, oferecendo preços competitivos, produtos e serviços de qualidade para sair mais rápido e fortalecidos desta crise. O empreendedor chapecoense é um otimista realista.

    Quais os setores que passarão praticamente incólumes dessa crise? Agroindústria, indústria farmacêutica...?
    Leandra - Entramos em uma crise de saúde que se agravou com a crise econômica. A saúde é nosso bem maior, entendemos isso de uma forma dolorosa. A alimentação é o último item que a dona de casa reduz nas despesas. A locomotiva da nossa região é o agronegócio, o qual representou neste ano quase a metade das exportações totais brasileiras, o último quadrimestre foi o melhor resultado dos últimos tempos.

    E os setores que mais sofrerão? Hotéis, trade turístico em geral... etc.
    Leandra - Nos momentos de crise a tendência é ser cauteloso com as despesas em supérfluos, entretenimento, viagens de turismo, troca de automóvel. As viagens a trabalho, as quais movimentam companhias aéreas, hotéis e restaurantes, tornaram-se obsoletas sendo possível realiza-las sem sair de casa.

    As empresas com alto grau de inovação resistiram melhor a essa crise do que as empresas convencionais? Por quê?
    Leandra - As empresas que perceberem rapidamente que o ambiente mudou e investirem em tecnologia, inovação, desenvolvimento e profissionais sairão na frente. As pessoas são o valor agregado nas organizações. Empresas com projetos diferenciados atrairão e reterão os novos talentos.

    Veja também

    Conexão Desbravalley Carta de intenções firmará parceria entre o Brasil e Israel26/06/19Fundador da Tech7, Yotam Tzuker, reúne-se com prefeito de Chapecó, palestra para empresários e confirma propósito de investir no município Uma carta de intenções entre empresários, universidades e poder público oficializará parceria entre Chapecó e a cidade de Berseba, no Israel. A decisão foi confirmada nessa semana durante o evento Conexão Desbravalley Brasil – Israel que trouxe o especialista em desenvolvimento de ecossistemas e fundador da Tech7, organização que conecta os......
    “É preciso espantar a onda de pessimismo”13/04/15 Uma visão da atualidade política e econômica brasileira e catarinense e um balanço sobre obras e investimentos públicos pautaram a palestra do presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC), deputado......
    Núcleo Multissetorial da ACIC promove evento para turbinar os negócios23/09/19 Um evento inovador, com formato e horário diferenciado. Assim foi o “Turbine Já”, um curso de capacitação promovido na última semana pelo Núcleo Multissetorial da Associação Comercial e......

    Voltar para Notícias