NOTÍCIAS

Postado em 11 de Setembro de 2014 às 08h30

MERCOAGRO 2014 - Seminário abre com palestra sobre inovação, tecnologia e competitividade

Com o tema “Inovação, Tecnologia e Competitividade na Indústria de Carnes”, foi realizado ontem, dia 10, o X Seminário Internacional de Industrialização da Carne, no Lang Palace Hotel. O evento, paralelo a Mercoagro 2014, tem, entre os objetivos, se tornar um dos eventos mais importantes do setor da industrialização da carne, trazendo tendências, oportunidades e inovações para a indústria. Participaram profissionais e estudantes do setor, que ouviram palestrantes nacionais e internacionais que falaram sobre a história, o momento atual e as tendências do setor de carnes no Brasil e no mundo.

Na abertura do seminário, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), Bento Zanoni, destacou a parceria com o Senai, Fiesc e BTS Informa. Para ele, o evento é uma oportunidade única para aprender. O diretor da Mercoagro e representante da BTS Informa, José Danghesi, também ressaltou a qualidade do seminário e as parcerias.

A carência de profissionais competentes e comprometidos foi citada pelo diretor da Secretaria de Agricultura de Chapecó, Nelson Krombauer. Para ele, o seminário é uma oportunidade de aprender e colocar em prática, além de mostrar a importância da tecnologia para a competitividade. Já o vice-presidente regional da Fiesc, Waldemar Schmitz, ressaltou que o objetivo é integrar conhecimento, tecnologia e inovação, buscando tendências de mercado e o desenvolvimento da indústria.

Logo depois dos pronunciamentos iniciou a primeira palestra da manhã, “Estratégias criativas de competitividade na indústria”, com o doutor Jefferson de Oliveira Gomes, do Senai. Ele falou sobre a economia do Brasil nos últimos 30 anos, destacando que todos os 163 índices pesquisados pelo IBGE cresceram e como isso se reflete na indústria. “Com o aquecimento da economia, nossa indústria derreteu. Temos um déficit na balança comercial de R$ 110 bilhões”, disse.

Para mudar essa situação e melhorar os números, assim como o desenvolvimento da indústria do País, o Senai desenvolve várias atividades com foco em pesquisa, tecnologia, inovação e empreendedorismo. Conforme Gomes, as empresas fortes que investem em pesquisa aplicada no Brasil não chegam a dez. Ele citou a Petrobrás, a Vale e a Embraer.

Para aumentar e melhorar as pesquisas, o Senai criou 60 Institutos de Tecnologia e 26 Institutos de Inovação. Além dos 4 milhões de alunos do Senai no País, as empresas também podem usar os laboratórios para fazer pesquisa e desenvolver projetos de inovação, por meio de um processo de edital. “O Senai aporta R$ 300 mil para as empresas. Já são mais de 1.100 empresas atendidas pelo Brasil”, conclui o palestrante.

Veja também

Fundo Social Chapecó recebe capacitação sobre leis de incentivo fiscal04/07Iniciativa foi da FIESC, por meio do SESI, em parceria com a ACIC, ENGIE Brasil Energia e Incentive. Objetivo foi orientar entidades para captar recursos Cerca de R$ 140 milhões deixam de ser investidos em projetos sociais todos os anos em Santa Catarina. Os números foram apresentados nesta quarta-feira (04) durante o programa Capacitar, em Chapecó, promovido pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), por meio do SESI, em parceria com a Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC),......
MERCOAGRO 2016 Mercoshow oportuniza produtos e serviços inovadores14/09/16 Desenvolvimento do comércio internacional, novas tecnologias de conservação de produtos, como minimizar os impactos ambientais, proteção das mãos e energias renováveis foram temas abordados nas palestras da......
Sala do Conhecimento na Expen 201420/03/14 Rentabilidade expressiva, segurança e marketing são os principais fatores que atraem os empreendedores a investirem nas franquias. Estes fatores foram destacados pelo professor e empresário, Sérgio Migliorini, durante o mini-curso......

Voltar para Notícias