Aba 1

    NOTÍCIAS

    Postado em 09 de Setembro de 2020 às 10h57

    "A maioria sairá fortalecida após esse período", afirma Angonese

    Dos primeiros comércios, em construções de madeiras que se misturavam às moradias na principal avenida de Chapecó, até o comércio atual, atuante em todos os bairros, muita coisa mudou no município. A tendência é de continuidade dessa evolução, impulsionada pela pandemia que mudou os hábitos de consumo e fez as empresas se reinventarem. Para o diretor de Desenvolvimento Comercial da ACIC, Emerson Luiz Angonese, o futuro é promissor e as organizações sairão ainda mais fortalecidas da crise sanitária, dando continuidade ao espírito empreendedor e associativista que marca a trajetória dos 103 anos de Chapecó.

    Quais os principais avanços que o setor comercial registra em Chapecó nos últimos anos?

    São muitos os avanços que percebemos no comércio de Chapecó nos últimos anos: tivemos a entrada de um shopping center, modernização do comércio de rua, com melhoria de espaços, investimento em estacionamentos, utilização de tecnologias, qualificação de equipes, entre outros. Tudo isso proporciona uma boa experiência de compra ao consumidor e, com isso, continua tendo crescimento mesmo em meio a instabilidades que vem sofrendo.

    Há indicadores de que o comércio eletrônico disparou em Chapecó com a pandemia. Como o senhor avalia isso?

    Tivemos um crescimento muito significativo e acreditamos que isso continue, já era uma tendência de consumo, mas teve uma aceleração forçada devido à pandemia. Várias empresas criaram sites, e-commerce, delivery, televendas etc. Nunca as mídias sociais foram tão usadas pelo comércio quanto estão sendo agora, não só para compra e venda, mas principalmente para busca por informações sobre produtos e serviços.

    Essa tendência não ameaça as lojas físicas e o exuberante comércio de rua?

    Mesmo com o avanço do comércio eletrônico, vejo que a grande maioria dos consumidores prefere as lojas físicas para realizar suas compras, até buscam informações sobre produtos e serviços na internet, mas se sentem mais seguros, na maioria das vezes, em ir diretamente nas lojas. Porém, os empresários precisam investir também nas lojas físicas e gastar energia com o que realmente proporcionará melhores resultados.

    Chapecó atrairá novos empreendimentos, como shopping center, por exemplo?

    Chapecó está em pleno crescimento, é um grande polo regional, atraiu e continua atraindo muitos comércios e franquias que estão em expansão, além de atrair muitos comércios de toda grande região, que enxergam uma excelente oportunidade de prosperarem na nossa cidade. Porém, acredito que devido ao novo normal (covid), os shoppings centers vão segurar suas expansões, pois os consumidores estarão menos seguros de estarem frequentando locais com maiores aglomerações de pessoas.

    As principais redes de atacarejo aportaram em Chapecó, a que se deve isso?

    Chapecó é uma cidade em pleno desenvolvimento econômico e social, com um comércio local pujante que chama a atenção desses investidores. Temos uma população consideravelmente grande e com uma grande região que usa nossa cidade para realizar suas compras. Junto a isso estamos projetando crescer muito o número de habitantes nos próximos anos, devido a essa migração das pessoas e comércios das cidades menores para as maiores.

    Quais suas previsões e projeções sobre o setor no período pós-pandemia?

    Não foi e não será fácil para ninguém esse momento que estamos vivendo devido à pandemia (pelo menos para a grande maioria do comércio), porém, acredito que muitos empresários tomaram decisões duras, mas necessárias em relação a suas empresas, colocaram em prática o que estavam adiando há tempo, cuidaram melhor dos seus negócios, dos seus recursos, resolveram situações importantes que antes eram deixadas de lado e que com certeza fizeram e farão uma grande diferença no futuro. A maioria dos empresários e comércios sairão ainda mais fortalecidos após esse período. Muitas vezes o menos é mais.

    Veja também

    Sebrae apresenta na ACIC modelo de desenvolvimento do ecossistema de inovação27/01/20 Santa Catarina tem o sexto maior Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil: R$ 277 bilhões e possui apenas 1,1% do território nacional. Tem mais de 2,2 milhões de empregos formais, a menor taxa de desocupação do Brasil (5,8%) e é o segundo Estado mais competitivo desde 2017, ficando atrás apenas de São Paulo. A indústria barriga verde é a primeira em......
    Núcleos da ACIC fortalecem profissionais e empresas de Chapecó21/10/20 Crescer e desenvolver-se pessoal e profissionalmente. Esse é o objetivo dos núcleos empresariais da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) que, nesta quarta-feira (21), promoveram evento on-line para......

    Voltar para Notícias