Comunicação

Comunicação

Chapecó detém uma economia dinâmica e expressiva, constituindo-se no maior polo de desenvolvimento econômico da parte ocidental do território catarinense. Tornou-se um centro mundial de produção de proteína animal e uma referência nacional em serviços especializados nas áreas educacionais e de saúde, além de ostentar um comércio moderno, diversificado e vigoroso. Nesse contexto de trabalho e produção, as telecomunicações se constituem em ferramenta essencial para pessoas, empresas, organizações de todas as áreas e agentes econômicos de todos os setores.

O município de Chapecó tem um dos piores serviços de Internet e telefonia celular do Brasil. Essa situação é constatável em qualquer pesquisa de satisfação com empresários, profissionais liberais e consumidores individuais.

Internet

Internet


Sei que não está nas principais demandas levantadas e reivindicadas pela ACIC mas como já comentei e já foi comentado por outros (Ex: Jacob na reunião que tivemos com a Ideli), a região está muito carente ao que tange a disponibilidade/estrutura de serviços de Internet e transmissão de dados.
Não preciso comentar a importância da internet na vida de todos e principalmente para o desenvolvimento econômico e de conhecimento.
Hoje com a crescente demanda da informatização e substituição de processos burocráticos antes realizados através de inúmeros formulários e registros em papel nossa região precisa ter infraestrutura ampliada também nesta área.
As empresas estão cada vez mais obrigadas a realizar processos eletrônicos, como exemplo posso citar: NF-e (Nota Fiscal Eletrônica), NF-es (Nota Fiscal Eletrônica de Serviço), SPED (Sistema de Processamento Eletrônico de Dados), fora inúmeras outras obrigações de transmissão de dados (RAIS, Declarações de Renda, processos de importação e exportação, etc...), enfim, a maioria dos processos burocráticos hoje necessitam da internet para serem realizados e também coisas simples como comprar uma passagem aérea. Não podemos esquecer do que está por vir... como o CUPOM FISCAL ELETRÔNICO (imaginem cada venda a BALCÃO ter que enviar informações para o fisco).
Para minha empresa dar um suporte ágil para nossos clientes utilizo também da internet e para os senhores terem ideia única disponibilidade para mim é a internet de 1M EMPRESARIAL. Em Florianópolis hoje se comercializa para usuários DOMÉSTICOS internet de 32MG, isto é um absurdo. A única explicação é que não tem rede disponível e não há programação de ampliação para a área. Sei que alguns lugares no centro possuem disponibilidade mas mesmo assim o máximo que temos hoje é de 4M. Nem estou levando em consideração a qualidade do serviço prestado comprovadamente campeã em reclamações.
Para tanto gostaria de sugerir que a ACIC enviasse um ofício solicitando uma reunião com algum responsável pela OI (antiga BRT) para que possa nos deixar a par se há algum plano de expansão neste sentido. Aproveitaríamos e formalmente solicitaríamos urgência na ampliação e melhoria dos serviços.
Poderiam participar (na minha opinião) os diretores de Desenvolvimento Industrial e Agronegócio, Comercial e Serviços e Relações Internacionais e Comércio Exterior e mais quem possa interessar.
Infelizmente não tenho muitas informações de comparação já que como este negócio (pelo menos para quem não quer/pode gastar absurdos em soluções que o mercado oferece) está centralizada em soluções da OI Telecom é muito difícil conseguir dados.

Grande abraço e bons negócios a todos.

FRANCIS MARCEL POSTDiretor da empresa VISION SYSTEM Vice-Presidente da DEATEC - Associação Polo Tecnológico do Oeste de Santa Catarina
Diretor de Núcleos Setoriais da ACIC – Associação Comercial e Industrial de Chapecó.

Melhoria Internet

Melhoria Internet

Acic cobra melhorias na Internet em Chapecó
23/11/2010

Definitivamente, a Internet é a ferramenta mais utilizada na atualidade. Seu uso está associado a praticamente todas as atividades nos setores de comércio, indústria e prestação de serviço. Empresários fecham negócios pela Internet, se qualificam através de cursos on line ou, simplesmente, buscam informações sobre viagens e lazer. Diante da constatação da importância dessa ferramenta, a diretoria da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) apresentou relatório de demandas para a direção da Oi Telecom, empresa que opera o sistema de Internet em Chapecó.
O diretor de Núcleos Setoriais da ACIC, Francis Marcel Post, explica que as reivindicações protocoladas em ofício destinado a superintendência da empresa foram solicitadas pelos associados que se queixam constantemente da qualidade dos serviços.
Entre as reivindicações estão a ampliação das estruturas da rede telefônica (“armário”, estação e cabos) com o objetivo de ampliar a abrangência dos serviços; ampliação da oferta de conexão a Internet por Banda Larga Empresarial com velocidades superiores a 8 Mbps equiparando a oferta apresentada em outras localidades do estado ou para planos destinados a Pessoa Física (que chegam a 20 Mbps) com o objetivo de tornar a transmissão de dados mais ágil, segura e estável; investimentos em manutenção corretiva e principalmente preventiva com o objetivo de evitar as constantes quedas e interrupções dos serviços.
Também fizeram parte do ofício pedidos de investimentos em centrais de atendimento com o objetivo de diminuir o tempo para resolução de problemas de contas, consulta, aquisição de novos serviços, etc e investimentos em atendimento pessoal personalizado para clientes empresariais com o objetivo de facilitar o acesso aos serviços, retirada de dúvidas, consulta as contas, etc..
A primeira providência pela Oi Telecom ocorreu na semana passada com a ampliação da disponibilidade de internet com 8 e 10 MB de velocidade para a região central de Chapecó. A internet é de 10MG, com IP profissional sem provedor e com um custo de R$ 84,90. Informações pelo telefone 3319-5100. 

Internet Móvel

Internet Móvel

Chapecó, 04 de maio de 2012.

À
AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL
Brasília (DF)

Senhor Diretor:

O município de Chapecó detém uma economia dinâmica e expressiva, constituindo-se no maior polo de desenvolvimento econômico da parte ocidental do território catarinense. Tornou-se um centro mundial de produção de proteína animal e uma referência nacional em serviços especializados nas áreas educacionais e de saúde, além de ostentar um comércio moderno, diversificado e vigoroso.
Nesse contexto de trabalho e produção, as telecomunicações se constituem em ferramenta essencial para pessoas, empresas, organizações de todas as áreas e agentes econômicos de todos os setores.
Para infelicidade geral dessa próspera comunidade, os serviços de telefonia móvel e de internet são de péssima qualidade e estão muito abaixo dos padrões mínimos de eficiência admissíveis, hodiernamente, em todo o mundo.
Sinal inexistente em metade da área urbana e linhas de celulares sempre congestionadas são a tônica da telefonia móvel. Baixa velocidade e linhas precárias caracterizam a Internet.
Os usuários em geral dos serviços de telefonia e internet, em Chapecó, são diariamente vítimas de um estelionato. Essa é a melhor qualificação para essa situação: as companhias vendem um serviço que não podem entregar.
É evidente que falta infraestrutura de processamento de comunicações para atender ao volume de linhas e ao tamanho da demanda. É um caso típico de crime contra a economia e o consumidor. De um lado falta infraestrutura para sustentar qualidade aos serviços já vendidos, mas, de outro, as telefônicas não cessam a venda de novos produtos telecomunicacionais – agravando, piorando, agudizando e exacerbando o problema.
A debilidade do sistema em Chapecó é revoltante. Faltam mais torres de telefonia celular, pois as instaladas estão esgotadas. Há apenas um cabo de fibra ótica para atender o município e sua capacidade está no limite.
A situação se deteriora dia a dia em face da popularização da Internet, das redes sociais e o aumento do uso de smartphones, o que contribui cada vez mais para as demandas na rede. De outro lado, um crescente número de empresas ingressam no comércio eletrônico como uma área de investimento.
Se fosse aferida a velocidade da Internet em Chapecó, o município ficaria, com certeza, com uma das conexões médias mais lentas entre todas as cidades do mundo. Nesse estágio podemos, lamentavelmente, afirmar que a falta de estrutura para montar um comércio eletrônico atinge grande número de empresas e isso permite registrar que aproximadamente 95% são micro e pequenos empresários.
Em razão do exposto, a Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) reivindica que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) exija – em regime emergencial – que as operadoras de telefonia móvel e internet façam investimentos imediatos na ampliação da infraestrutura para equacionar esse quadro de descaso e de desrespeito às empresas e aos consumidores.
Na esperança de que medidas e providências sejam encaminhadas, antecipamos sinceros agradecimentos.

Atenciosamente,

Maurício Zolet – presidente
Flávio Pasqualli – vice-presidente

Internet Móvel 2

Internet Móvel 2

Internet em Chapecó
UMA DAS PIORES DO BRASIL
05/06/2012

O município de Chapecó tem um dos piores serviços de Internet e telefonia celular do Brasil. Essa situação é constatável em qualquer pesquisa de satisfação com empresários, profissionais liberais e consumidores individuais. Revoltada com esse cenário, a Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) reivindicou que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) exija – em regime emergencial – que as operadoras de telefonia móvel e internet façam investimentos imediatos na ampliação da infraestrutura para equacionar esse quadro de descaso e de desrespeito às empresas e aos consumidores.
Em expediente à Anatel, a ACIC coloca que “para infelicidade geral dessa próspera comunidade, os serviços de telefonia móvel e de internet são de péssima qualidade e estão muito abaixo dos padrões mínimos de eficiência admissíveis, hodiernamente, em todo o mundo”.
A entidade reclama que a Internet em Chapecó é caracterizada como de baixa velocidade e linhas precárias, sinal inexistente em metade da área urbana e linhas de celulares sempre congestionadas. Em tom de desabafo, a ACIC sustenta que “os usuários em geral dos serviços de telefonia e internet, em Chapecó, são diariamente vítimas de um estelionato. Essa é a melhor qualificação para essa situação: as companhias vendem um serviço que não podem entregar”.
No documento, a entidade demonstra que é evidente a falta de infraestrutura de processamento de comunicações para atender ao volume de linhas e ao tamanho da demanda. É um caso típico de crime contra a economia e o consumidor. De um lado falta infraestrutura para sustentar qualidade aos serviços já vendidos, mas, de outro, as telefônicas não cessam a venda de novos produtos telecomunicacionais – agravando, piorando, agudizando e exacerbando o problema.
A ACIC enfatiza que a debilidade do sistema em Chapecó é revoltante. Faltam mais torres de telefonia celular, pois as instaladas estão esgotadas. Há apenas um cabo de fibra ótica para atender o município e sua capacidade está no limite.
A situação se deteriora dia a dia em face da popularização da Internet, das redes sociais e o aumento do uso de smartphones, o que contribui cada vez mais para as demandas na rede. De outro lado, um crescente número de empresas ingressam no comércio eletrônico como uma área de investimento.
De acordo com a entidade, se fosse aferida a velocidade da Internet em Chapecó, o município ficaria, com certeza, com uma das conexões médias mais lentas entre todas as cidades do mundo. A entidade observa, também, que a falta de estrutura para montar um comércio eletrônico atinge grande número de empresas e registra que aproximadamente 95% são micro e pequenos empresários.
DINAMISMO
O presidente da ACIC, Maurício Zolet, realça que o município de Chapecó detém uma economia dinâmica e expressiva, constituindo-se no maior polo de desenvolvimento econômico da parte ocidental do território catarinense. Tornou-se um centro mundial de produção de proteína animal e uma referência nacional em serviços especializados nas áreas educacionais e de saúde, além de ostentar um comércio moderno, diversificado e vigoroso. Nesse contexto de trabalho e produção, as telecomunicações se constituem em ferramenta essencial para pessoas, empresas, organizações de todas as áreas e agentes econômicos de todos os setores.

Internet Móvel 3

Internet Móvel 3